Normal view MARC view ISBD view

Serviço social no envelhecimento / coord. Maria Irene de Carvalho

Secondary Author: Carvalho, Maria Irene de Publication: Lisboa : Pactor, 2013 Description: XXVI, 285 p.ISBN: 978-989-693-028-8Topical name: Serviço social | Envelhecimento | Idosos | Pessoas com deficiência | Políticas sociais | Idosos imigrantes | Sexualidade dos idosos | Estimulação multisensorial - Terapia Snoezelen Recommended bibliographic: Psicogerontologia (CTeSP) - Oficina de orientação para a atividade e qualidade de vida no envelhecimento - 2º ano CDU: 364 List(s) this item appears in: Serviço social
Tags from this library: No tags from this library for this title. Add tag(s)
Log in to add tags.
    average rating: 0.0 (0 votes)
Item type Location Call number Status Date due Barcode Course reserves
Monografia
Biblioteca IPBeja
364/SER (Browse shelf) Available 46847

Serviço Social Optativa I – Intervenção em Serviço Social - Pessoas Idosas 2º Ano / 1º Semestre

Psicogerontologia Oficina de Orientação para a Atividade e Qualidade de Vida no Envelhecimento 2º Ano / 1º Semestre

Monografia
Biblioteca IPBeja
364/SER (Browse shelf) Available 45733

Índice
Os Autores, p. XI
Prefácios, p. XV
Apresentação, p. XIX
Capítulo 1, p. 1
Um Percurso Heurístico pelo Envelhecimento

Introdução, p. 1
Significações do envelhecimento, do envelhecer e da velhice, p. 3
Teorias relacionadas com o envelhecimento, p. 5
Modelos para compreender o envelhecimento, p. 8
Modelo do envelhecimento saudável, p. 8
Modelo do envelhecimento bem-sucedido, p. 9
Modelo do envelhecimento produtivo, p. 9
Modelo do envelhecimento ativo, p. 9
Considerações finais, p. 10
Referências, p. 12
Capítulo 2, p. 17
Envelhecimento, Políticas de Intervenção e Serviço Social

Introdução, p. 17
Envelhecer: Um problema social, p. 17
Envelhecimento, reforma e desprotecção, p. 18
Desconstrução do envelhecimento, p. 19
Idade avançada e envelhecimento ativo, p. 22
A política institucionalizadora e a política residencial, p. 23
Envelhecimento, políticas de intervenção social e Serviço Social, p. 24
Intervenção protetora e providencial, p. 25
Intervenção com idosos e no envelhecimento, p. 29
Considerações finais, p. 32
Referências, p. 33

Capítulo 3, p. 35

Autonomia Relacionai e Cidadania Protegida: Paradigma para Envelhecer Bem

Introdução, p. 35
O paradigma relacional multidimensional da autonomia da proteção e da
Funcionalidade, p. 35
Autonomia e funcionalidade, p. 36
Proteção social, p. 37
Envelhecimento e autonomia na velhice, p. 39
Proteção e autonomia na família, p. 41
Relações económicas: Trocas, proteção e autonomia, p. 42
Autonomia e proteção na sociedade e política, p. 44
Considerações finais, p. 46
Referências, p. 47
Capítulo 4, p. 49
Uma Prática de Empowerment com Adultos Idosos

Introdução, p. 49
Conceptualização do empowerment no Serviço Social, p. 51
Valores primaciais, p. 51
Principais componentes do empowerment, p. 52
Envelhecimento e poder, p. 54
Idadismo e outros “ismos”, p. 54
A síndrome de quebra social, p. 56
Empowerment, participação e autonomia, p. 58
Desafios do empowerment com adultos idosos, p. 59
Idosos enquanto clientes de serviços sociais, p. 60
A corporal ização da velhice como estratégia de empowerment, p. 61
Novas tecnologias, p. 62
Sexualidade, p. 63
Considerações finais, p. 63
Referências, p. 64
Capítulo 5, p. 67
Serviço Social com Idosos: Intervenção Orientada para o Mercado ou para Serviços Universais?

Introdução, p. 67
Idosos: Um grupo subvalorizado, p. 67
Cuidados na comunidade: Desenvolvimento de programas de cuidados a idosos, p. 69
Capacitação do consumidor idoso, p. 73
Idosos: Abusos sofridos, p. 74
Tendências contemporâneas nos cuidados com idosos, p. 77
Considerações finais, p. 78
Referências, p. 79
Capítulo 6, p. 81

Das Políticas Sociais da Velhice à Política Social de Envelhecimento

Introdução, p. 81
Envelhecimento, política social e políticas sociais de velhice, p. 83
Envelhecimento, p. 83
Velhice, p. 84
Envelhecimento em Portugal, p. 84
Determinantes do envelhecimento demográfico, p. 85
Política social, p. 85
Políticas sociais de velhice, p. 86
Acontecimentos internacionais que marcaram as políticas sociais dirigidas à
população idosa: De Viena (1982) a Madrid (2002), p. 88
I Assembleia Mundial de Viena sobre o Envelhecimento (1982), p. 88
Entre Viena (1982) e Madrid (2002), o que se passou?, p. 89
No âmbito das Nações Unidas, p. 89
No âmbito europeu, p. 90
II Assembleia Mundial de Madrid sobre o Envelhecimento (2002), p. 90
Evolução das “políticas sociais”, medidas e programas dirigidos à população idosa
em Portugal, p. 92
1.° Período: 1976 a 1985, p. 92
2°Período: 1985 a 1995, p. 92
3. ° Período: 1995 a 2002, p. 93
4. ° Período: 2002 até à actualidade, p. 94
Medidas de política dirigidas às pessoas idosas e em situação de dependência
no âmbito da Segurança Social, p. 95
Evolução das respostas sociais dirigidas à população idosa em Portugal, p. 96
Estratégias e medidas de políticas sociais para a população idosa, p. 98
Considerações finais, p. 100
Referências, p. 101
Capítulo 7, p. 105

Voluntariado ou Trabalho de Cuidados na Esfera Familiar?:Controvérsias em Torno do Envelhecimento Ativo

Introdução, p. 105



Controvérsias do conceito de envelhecimento ativo, p. 105
Envelhecimento e políticas sociais, p. 106
Envelhecimento e família, p. 107
Trajetória(s) de cuidados na esfera familiar: O caso da doença de Alzheimer e das
doenças cerebrovasculares - um estudo empírico, p. 109
O Acidente Vascular Cerebral (AVC), p. 110
As demências, p. 111
Cuidados familiares a doentes dependentes, p. 111
A chegada inesperada do AVC, p. 112
A incerteza de um diagnóstico tardio: A memória perdida na doença de
Alzheimer, p. 113
Considerações finais, p. 120
Referências, p. 121
Capítulo 8, p. 123
O Envelhecimento das Pessoas com Deficiência: Problemáticas e Perspetivas na Ótica do Serviço Social

Introdução, p. 123
De que falamos quando falamos de deficiência?, p. 123
Aspetos demográficos, p. 126
Apoios sociais existentes, p. 127
Desafios do envelhecimento das pessoas com deficiência, p. 131
Saúde e bem-estar, p. 131
Redes sociais de suporte, p. 133
Considerações finais, p. 134
Referências, p. 135
Capítulo 9, p. 137
Pobreza e Violência Sobre os Idosos
Introdução, p. 137
A violência sobre as pessoas idosas, p. 138
As categorias da violência, p. 140
Indicadores de pobreza em idosos, p. 142
Indicadores de risco de violência, p. 143
A situação em Portugal face à violência, p. 145
Considerações finais, p. 147
Referências, p. 148

Capítulo 10, p. 149
Urbanização do Envelhecimento e Intervenção Social: Territórios da Gerontologia Social
Introdução, p. 149
0 caso português, p. 149
Urbanização do envelhecimento: Como adaptar a cidade à problemática do
envelhecimento?, p. 151
Podemos falar de gerações idosas urbanas?, p. 151
Quem são os seniores urbanos?, p. 152
A cidade e o envelhecimento, p. 153
Envelhecimento com dignidade: A importância do habitat, p. 154
Habitat e direitos - Carta Social Europeia: Artigo 23.° (Revisão de 1996), p. 154
União Europeia: Conferência de Helsínquia (1999), p. 155
Comissão das Comunidades Europeias (1999), p. 155
Nações Unidas: Habitat II, p. 156
Adaptar a cidade ao envelhecimento, p. 156
A cidade é incapacitante para os que avançam em idade?, p. 156
Questões de planeamento e intervenção, p. 156
Programa “Cidades Amigas das Pessoas Idosas”, p. 158
Plano gerontológico, p. 158
Considerações finais, p. 161
Referências, p. 161
Capítulo 11, p. 163
Imigração e Envelhecimento: Estratégias Sociais no Trabalho com Idosos Imigrantes
Introdução, p. 163
Imigração e envelhecimento: Algumas notas para discussão, p. 164
Envelhecimento dos imigrantes em Portugal: Ponto da situação, p. 167
Estratégias sociais no trabalho com idosos imigrantes: Conhecimentos e competências necessárias na intervenção
social junto de idosos imigrantes, p. 169
Considerações finais, p. 174
Referências, p. 175
Capítulo 12, p. 177
Serviço Social Gerontológico: Contextos e Práticas Profissionais
Introdução, p. 177
Princípios e valores, p. 179
Contextos de trabalho, p. 181
O requisito da interdisciplinaridade, p. 181
Objetivos da intervenção do Serviço Social Gerontológico, p. 182
Intervenção direta e indirecta, p. 183
Fases do processo de intervenção, p. 184
Avaliação Geriátrica Integral, p. 186
A relação enquanto espaço mediador da intervenção, p. 188
Intervenção indirecta, p. 189
Contextos específicos de intervenção do Serviço Social Gerontológico, p. 189
Serviço Social em instituições e serviços de cariz residencial, p. 190
Objetivos, p. 190
Funções, p. 191
A nível individual, p. 191
A nível familiar, p. 192
A nível grupal, p. 193
Atuações do assistente social perante o mau-trato institucional, p. 193
A nível administrativo, p. 193
Em relação aos utentes, p. 193
Em relação ao pessoal, p. 194
Serviço Social em instituições e serviços de cariz domiciliário, p. 194
A entrevista no domicílio, p. 195
A avaliação diagnóstica, p. 196
A coordenação e otimização de recursos, p. 196
Direção, gestão e coordenação de respostas gerontológicas, p. 197
Funções do Serviço Social em relação às equipas prestadoras de cuidados, p. 197
Considerações finais, p. 198
Referências, p. 199
Capítulo 13, p. 201

Envelhecimento e Intervenção do Serviço Social com Doentes Idosos em Meio Hospitalar

Introdução, p. 201
Envelhecimento demográfico: Abordagem internacional e nacional, p. 202
Intervenção do Serviço Social na saúde, p. 207
O Serviço Social no Hospital de Santa Maria - Centro Hospitalar Lisboa Norte, EPE, p. 208
O assistente social na equipa terapêutica, p. 209
Caracterização da população hospitalar, p. 210
Metodologia utilizada na intervenção, p. 213
Acolhimento, p. 214
Informação/orientação, p. 214
Articulação com a comunidade, p. 214
Acompanhamento psicossocial, p. 215
Gestão da doença, p. 216
Advocacia social, p. 216
Empowerment , p. 216
Mediação, p. 217
Considerações finais, p. 217
Referências, p. 218
Capítulo 14, p. 221
A Sida e a Sexualidade em Idosos: Perspetivas do Serviço Social Sobre a Prevenção dos Comportamentos de Risco

Introdução, p. 221
VIH/SIDA, p. 222
Sexualidade, p. 224
Sexualidade e risco, p. 225
Serviço Social: Da prevenção à promoção da saúde, p. 226
Estudo de casos, p. 228
Objetivos e metodologia, p. 228
Resultados, p. 229
A. A sexualidade dos idosos, p. 229
Perceção das assistentes sociais face às manifestações e vivências da sexualidade dos idosos nas instituições, p. 229
B. Os comportamentos sexuais de risco nos idosos, p. 230
Perceção das assistentes sociais face aos comportamentos de risco da população idosa e nível de conhecimento
sobre o problema, p. 230
C. O VIH/SIDA nos idosos: Perceção e conhecimento, p. 231
O conhecimento das assistentes sociais relativamente à SIDA na
população idosa em geral e a sua atitude face a situações concretas, p. 231
D. A intervenção e prevenção, p. 232
Discussão dos resultados, p. 233
Considerações finais, p. 235
Referências, p. 235
Capítulo 15, p. 237
Snoezelen Vitae - Envelhecimento, Espiritualidade e Estimulação Sensorial: Desafios para o Serviço Social

Introdução, p. 237
0 snoezelen vitae, p. 237
Snoezelen e Integração Sensorial, p. 241
0 caso do Lar Santa Beatriz da Silva, p. 245
Envelhecimento e espiritualidade, p. 250
A consciência da finitude: O sentido da vida, p. 256
Considerações finais, p. 262
Referências, p. 263

Capítulo 16, p. 265

Participação e Idosos: A Construção de um Quadro Ético para a Teleassistência em Espanha

Introdução, p. 265
Envelhecimento ativo na sociedade de informação, p. 266
Desenvolvimento de painéis de cidadãos, p. 270
Primeiro painel de cidadãos, p. 270
Segundo painel de cidadãos, p. 272
Principais resultados dos painéis, p. 272
Considerações finais, p. 276
Referências, p. 278
índice Remissivo, p. 281

There are no comments for this item.

Log in to your account to post a comment.

Click on an image to view it in the image viewer