Normal view MARC view ISBD view

Manual geral de agricultura / Jean-Louis Éliard ; trad. de Franco de Sousa

Main Author: Éliard, Jean-Louis Secondary Author: Sousa, Franco de Edition: 2ª ed Publication: Mem Martins : Europa América, cop. 1979 Description: 276 pSeries: Euroagro , 9Topical name: Cultura (agricultura) | Factor ambiental | Factor edáfico | Relação planta solo | Relação planta água | Propriedade físico-química do solo | Irrigação | Produção vegetal CDU: 631
Tags from this library: No tags from this library for this title. Add tag(s)
Log in to add tags.
    average rating: 0.0 (0 votes)
Item type Location Call number Status Notes Date due Barcode Course reserves
Monografia
Biblioteca IPBeja
631/ELI (Browse shelf) Available BIPB/ESEB 5673

Agronomia Agricultura Geral II 2º Ano / 4º Semestre

Monografia
Biblioteca IPBeja
631/ELI (Browse shelf) Available BIPB/ESEB 5674
Monografia
Biblioteca IPBeja
FCS ELI/ MAN (Browse shelf) Available Oferta Engº Carvalho da Silva 42858

O exemplar com registo nº42858 pertence ao espólio do Engº Carvalho da Silva

Tít. orig.: Manuel d'agriculture générale

ÍNDICE
Introdução — A planta no seu ambiente, p. 15
Primeira parte
O CLIMA
Capítulo l — Os elementos do clima: a sua determinação, p. 19
I. A temperatura, p. 19
II. A luz, p. 20
III. As precipitações e a humidade do ar, p. 21
IV. O vento, p. 22
V. A evaporação, p. 22
Capítulo 2 — A acção dos elementos do clima sobre a vegetação, p. 24
II. Acção da luz sobre os vegetais, p. 29
III. Acção da água sobre os vegetais , p. 30
IV. Acção do vento sobre os vegetais, p. 32
Capítulo 3 — Funções do clima agrícola , p. 35
I. O clima agrícola, p. 35
II. As funções do clima, p. 35
Segunda parte
O SOLO
Capítulo l — Definição do solo e do subsolo; origem e formação dos solos agrícolas, p. 43
I. Definição do soío e do subsolo, p. 43
II. Origem e formação dos solos agrícolas, p. 45
Capítulo 2 — Estudo físico do solo, p. 51
I. Os constituintes físicos do solo; noção da textura, p. 51
II. A estrutura do solo, p. 59
III. Propriedades físicas do solo, p. 54
Capítulo 3 — Estudo químico do solo, p. 78
I. O poder adsorvente do solo, p. 78
II. A reacção dos solos; o pH, p. 84
III. Composição química do solo. Comportamento dos elementos químicos no solo, p. 88
Capítulo 4 — Estudo biológico do solo, p. 94
I. Os seres vivos do solo, p. 94
II. Condições de actividade dos microrganismos , p. 95
III. Os principais fenómenos microbianos no solo, p. 96
IV. O ciclo do azoto e o seu equilíbrio, p. 100
V. O agricultor e a actividade microbiana do solo,p. 100
Capítulo 5 — O conhecimento do solo, p. 103
I. Observação do perfil cultural, p. 103
II. A análise do solo no laboratório, p. 109
1. A extracção da amostra, p. 110
2. A análise propriamente dita, p. 111
3. O boletim de análise e a sua interpretação, p. 112
Terceira parte
OS MELHORAMENTOS FEITOS NO SOLO
Capítulo l — O domínio da água no solo, p. 119
I. As acções do agricultor sobre a economia da água no solo, p. 119
II. O saneamento das terras , p. 120
III. A irrigação, p. 126
1. A irrigação racional , p. 127
2. A escolha do equipamento, p. 133
3. A irrigação origina uma modificação das outras técnicas culturais, p. 135
4. Outros métodos de irrigação, p. 135
Capitulo 2 — A Correcção alcalina do solo, p. 140
I. As funções do cálcio, p. 140
II. As causas da necessidade em cal, p. 140
III. Avaliação das necessidades em cal, p. 141
IV. Utilização dos correctivos cálcicos, p. 141
1. Principais correctivos cálcicos, p. 141
2. Prática da calagem , p. 144
Capítulo 3 — A manutenção do teor em humo do solo, p. 147
I. As funções do humo, p. 147
II. O balanço húmico, p. 149
III. Os correctivos húmicos , p. 154
1. O estrume, p. 154
2. O enterramento das palhas , p. 159
3. Os adubos verdes , p. 159
Capítulo 4 — O trabalho do solo, p. 164
I. Finalidades do trabalho do solo e principais técnicas culturais, p. 164
II. As lavouras, p. 166
III. As pseudolavouras, p. 170
IV. As formas superficiais de preparação do terreno, p. 172
V. Os amanhos, p. 173
VI. Evolução das técnicas de trabalho do solo, p. 175
Capítulo 5 — A fertilização mineral, p. 177
I. Os elementos minarias e a planta, p. 177
II. Os elementos minerais no solo, p. 180
III. Estudo dos principais adubos, p. 181
IV. Utilização racional dos adubos, p. 187
V. Caso particular dos elementos secundários e dos oligoelementos, p. 200
VI. Conclusão, p. 201
Quarta parte
A PLANTA
Capítulo l — A escolha da planta: escolha da espécie e da cultivar, p. 207
I. Noção de espécie e de cultivar, p. 207
II. A escolha da espécie, p. 208
III. A escolha da cultivar, p. 209
Capítulo 2 — A escolha das sementes e a sua preparação, p. 214
I. As qualidades de uma boa semente , p. 214
II. O controlo da produção das sementes , p. 218
III. A conduta da escolha, p. 219
IV. A preparação das sementes, p. 219
Capítulo 3 — As sementeiras, p. 221
I. A preparação da cama para a semente, p. 221
II. A época de sementeira, p. 223
III. Populações, p. 223
IV. A profundidade de sementeira, p. 226
V. Os processos de sementeira, p. 227
VI. Transplantações e plantações , p. 227
Quinta parte
PRINCÍPIOS DE PROTECÇÂO DAS CULTURAS
Capítulo l — A luta contra as infestantes, p. 233
I. Modo de acção das infestantes, p. 233
II. Conservação e propagação das infestantes, p. 234
III. Os meios de luta contra as infestantes, p. 236
IV. A luta química contra as infestantes , p. 238
Capítulo 2 — Métodos gerais de luta contra os parasitas das culturas, p. 252
I.O conhecimento dos parasitas , p. 252
II. Os métodos de luta, p. 253
III. A utilização dos produtos antiparasitários, p. 257
Capítulo 3 — Os avisos agrícolas, p. 264
I. Organização da luta, O Serviço de Extensão Rural, p. 264
II. Os avisos de tratamento, p. 265
Sexta parte
AFOLHAMENTOS E ROTAÇÕES
I. Definições, p. 269
II. A escolha do afolhamento, p. 271
III. As bases técnicas da rotação, p. 272
Bibliografia , p. 276

There are no comments for this item.

Log in to your account to post a comment.

Click on an image to view it in the image viewer